Hemorroidas / Pólipos

O que são hemorróidas/Polipos?

São vasos sanguíneos dilatados e salientes (semelhantes às varizes das pernas), localizadas na porção inferior do ânus e reto.

Podem ser de dois tipos:
– Hemorroidas internas – causam sangramento vivo ao evacuar.
– Hemorroidas externas – causam geralmente dor intensa e súbita, acompanhada de inchume.

Quais as causas de hemorroidas?

A posição bípede (de pé), adotada pelos humanos, causa um grande aumento na pressão das veias localizadas na região anal, dando origem a uma dilatação venosa que resultaria em hemorroidas.

Outros fatores que podem provocar o surgimento deste problema são:
– Idade;
– Constipação crônica ou diarreia;
– Gravidez;
– Hereditariedade;
– Esforço acentuado ao evacuar;
– Ficar muito tempo sentado na toalete.

Quais são os sintomas?
– Sangramento durante a evacuação (geralmente vivo e separado das fezes).
– Inchumes na região anal durante a evacuação, doloridos ou não.
– Umidade ou prurido anal.

Hemorróidas causam câncer?

Não. Hemorroidas não causam câncer, porém os sintomas das hemorroidas (particularmente o sangramento) são similares aos do câncer intestinal. Portanto é importante que sejam sempre investigados por um especialista. Nunca se automedique.

hemorrhoids-medical-illustration

 

Como as hemorroidas podem ser tratadas?

Frequentemente, com aumento da ingestão de fibras (frutas, vegetais e cereais) e líquidos, que auxiliam na prevenção e tratamento inicial desta moléstia.
Tratamentos eficazes, rápidos e, na maioria das vezes, indolores são rotineiramente realizados no consultório. Exemplo: coagulação por infravermelho e ligadura elástica.

hemorroida01foto_coagulacao

PPH

Nos casos de hemorroidas volumosas de III e IV grau foi introduzido recentemente no Brasil um tratamento inovador, feito através de um grampeador circular que se chama PPH (procedimento para o prolapso hemorroidário).

Após o uso deste aparelho nota-se que o pós-operatório tem sido, de maneira geral, bem menos doloroso (cerca de 80% menor a dor do que a cirurgia convenciona) e a recuperação mais rápida que a cirurgia tradicional.

Fissura Anal

O que é uma fissura anal?

A fissura anal é um pequeno corte na mucosa que reveste o ânus. Pode causar dor anal, sangramento ou prurido, de intensidade variável, durante ou após a evacuação.

Frequentemente é confundida com hemorroidas, sendo portanto tratada de maneira inadequada, o que acarreta um sofrimento crônico sem haver melhoras.

O que causa a fissura?

Geralmente uma evacuação difícil com fezes endurecidas causa esta lesão. Outras vezes o stress, diarreia ou inflamação da região anal podem também ser responsáveis pelo aparecimento da fissura anal.

Pode a fissura anal causar câncer intestinal?
Não. Se os sintomas não melhorarem após um tratamento inicial, que geralmente consiste em fibras na alimentação, banhos de assentos e cremes cicatrizantes, deve-se fazer uma reavaliação, pois outras patologias podem causar sintomas semelhantes.

Colonoscopia

O que é colonoscopia?

É um exame seguro e eficaz onde se consegue examinar e diagnosticar problemas do intestino grosso.
Através de um tubo flexível que possui uma ótica em sua extremidade obtém-se uma imagem precisa de todo o revestimento intestinal e se pode realizar biópsias de problemas existentes. O exame é realizado a nível ambulatorial com mínimo transtorno e desconforto.

Quem deve realizar a colonoscopia?

A pessoa que apresentar mudanças no funcionamento intestinal, sangramento nas evacuações ou sentir a sensação de evacuações incompletas.

A colonoscopia serve também para:

– Examinar sintomas abdominais pouco claros;
– Exames periódicos de problemas como colite ulcerativa ou doença de Crohn;
– Remover pólipos que sejam encontrados em exames, por exemplo, a radiografia do intestino grosso;
– Examinar pacientes que apresentem exames de pesquisa de sangue oculto nas fezes positivo;
– Acompanhar a evolução de pacientes que tiveram no passado pólipos ou câncer.

Quais os benefícios da colonoscopia?

Com a colonoscopia é possível detectar e remover a maioria dos pólipos intestinais e mesmo câncer em fase muito inicial, sem a necessidade de cirurgia.

É um exame muito mais preciso do que o enema opaco (radiografia dos intestinos) na detecção de pequenos pólipos ou câncer. No momento da realização do exame os pólipos encontrados podem ser removidos, havendo assim uma inequívoca prevenção do câncer intestinal (segundo câncer que mais mata no mundo).

colono6

Dieta para Colonoscopia

2 dias antes do exame fazer a dieta:

Ingerir apenas alimentos sem resíduos (proibido verduras, legumes, frutas, feijão, leite, não pode ingerir, mesmo batido no liquidificador).

Preferencialmente líquidos, caldo salgado (brodo), batata cozida com água e sal, chá, água gelatina, suco de frutas peneirado, gatorade, água de coco, picolé de frutas, bolacha salgada e suspiros.

1 dia antes do exame 9 horas da manhã:

1 litro de suco de laranja ou maracujá, ou água + 10 envelopes de Muvinlax, tomar todo o conteúdo da jarra em duas 2 horas. 21 horas repetir 10 envelopes diluídos em água e tomar todo conteúdo em 2 horas. Pode-se comer ou beber até a meia noite. Após, jejum. Inclusive de água.

Dia do exame:

Vir em jejum e comparecer no Hospital no horário marcado acompanhado de uma pessoa maior de idade, pois você não poderá dirigir por um período de 8 horas após o exame. Você será sedado por um anestesista e monitorado durante o exame. Ficará alguns minutos em observação antes de ser liberado. Após ser liberado devera ficar em repouso, não dirigir, e em casos de duvida, entrar em contato com o Dr João Antonio Schemberk Jr.

Câncer Intestinal

O câncer intestinal é a segunda causa mais frequente de mortes relacionadas ao câncer nos países do primeiro mundo, estando atrás apenas do câncer de pulmão. No Rio Grande do Sul encontra-se em quinto lugar, após o câncer de pulmão, estômago, mama e próstata. Apesar de sua alta frequência é um dos tumores mais preveníveis.

Quem está sob risco?

Após os 50 anos de idade os riscos aumentam bastante, principalmente em quem já teve câncer de mama, ovário ou útero, doenças inflamatórias intestinais, história familiar de pólipos ou câncer intestinal. Aconselha-se fazer uma colonoscopia a cada 10 anos ou alternativamente, fazer um toque retal e pesquisa de sangue oculto anualmente, acompanhado de sigmoidoscopia a cada 5 anos.

Quais os sintomas do câncer intestinal?

Muitos pólipos, e mesmo o câncer intestinal não produzem sintomas até que já estejam bastante desenvolvidos. Por isso é importante tentar encontrá-los quando são pequenos e facilmente removíveis.

Quando os sintomas ocorrem (sangramento ou alterações na função intestinal) são geralmente atribuídos às hemorróidas.

Como se pode prevenir o câncer intestinal?

Em primeiro lugar com uma alimentação rica em fibras, como os grãos, frutas e vegetais, e pobre em gorduras.

Muitos pólipos (que são considerados lesões que levam ao aparecimento de câncer com o passar do tempo) e mesmo o câncer intestinal geralmente não produzem sintomas até que se tornem bastante avançados.

Pólipos

O que são pólipos?

Pólipos são crescimentos anormais que surgem na mucosa do intestino e que são em 90 por cento dos casos os precursores do câncer intestinal.

Eles ocorrem em 15 a 20 por cento da população acima de 50 anos.

Quais os sintomas de pólipos?

Geralmente não causam sintomas. Em raras ocasiões eles produzem sangramento, dor abdominal ou muco com as fezes.

Devem os pólipos ser tratados?

Como não é possível avaliar se um pólipo pode ou não transformar-se em câncer, recomenda-se a sua retirada através do exame de colonoscopia. Na maioria dos casos a sua retirada é muito fácil.

A colonoscopia, com a remoção dos pólipos, é um exame ambulatorial, seguro e com pequeno desconforto. A retirada dos pólipos, porventura existentes, é a melhor forma de prevenção do câncer.

Como prevenir o câncer intestinal?

A maneira de prevenir sua ocorrência, ou mesmo conseguir uma alta taxa de cura caso já tenha aparecido, é detectá-lo precocemente através de exames apropriados, como, por exemplo, a colonoscopia. A colonoscopia é o exame que permite, que de uma forma eficaz e segura, se consiga visualizar todo o intestino grosso através de um instrumento flexível, de pequeno calibre, que serve também para realizar biópsias ou remover pólipos intestinais, claramente diminuindo o risco de que um câncer se desenvolva.

Constipação

Podemos dizer que alguém que evacua menos de três vezes por semana seria constipado.

Cerca de 80 por cento das pessoas sofrerão de constipação em algum período de suas vidas (um breve período de constipação é normal).

A ideia de que devemos evacuar todos os dias é errônea, levando frequentemente ao abusivo uso de laxantes que podem ocasionar constipação.

As causas mais frequentes de constipação são:

– Alimentação pobre em fibras alimentares;
– Ingestão insuficiente de líquidos;
– Vida sedentária;
– Viagens, gravidez ou mudança na alimentação;
– Postergar a vontade de ir ao banheiro;
– Muitos medicamentos, como os antidepressivos, analgésicos, anti hipertensivos, diuréticos, antiácidos, cálcio e ferro;
– Uma causa mais grave seriam os tumores.

Portanto, sempre que uma alteração no hábito intestinal persistir por mais de três semanas, você deve procurar um especialista. Aparecendo sangue nas fezes, procure logo recursos médicos.