Exames

Endoscopia Digestiva

O que é uma endoscopia digestiva alta?

A endoscopia digestiva alta é um exame que consiste na introdução, através da boca, de um instrumento flexível de pequeno diâmetro que vai permitir observar o esôfago, o estômago e o duodeno (a primeira porção do intestino delgado). O Endoscopista, um médico com treino especial na execução destes exames, vai observar o interior destes órgãos, identificando inflamações (esofagites, gastrites), úlceras, a causa de uma hemorragia e tumores.

 

Quais são as indicações para endoscopia digestiva alta?

As causas mais comuns para a realização de uma endoscopia digestiva alta são:
– Náuseas e vómitos
– Dor abdominal, azia
– Disfagia: dificuldade em engolir líquidos, sólidos, sentindo que ficam presos no esófago
– Hemorragia digestiva: vomitar sangue ou a presença de sangue nas fezes, já digerido, tipo borra de café (melenas)
– Esclarecer um Rx
– Remover um corpo estranho (ou impacto alimentar)
– Controle/ avaliação cicatrização de pólipos, úlceras.

 

E se o endoscopista detectar alguma alteração durante o exame?

Se o endoscopista encontrar alguma lesão, durante a realização do exame pode retirar, com uma pinça que introduz através de um dos canais do endoscópio, fragmentos para biópsia (de uma úlcera, tumor, etc.). Este procedimento não acresce qualquer incômodo ou complicação.

Toda a endoscopia diagnóstica é uma endoscopia potencialmente terapêutica. Se durante o seu exame o médico encontra um pólipo, uma lesão passível de sangrar ou em sangramento procede de imediato ao seu tratamento. Evita assim a repetição do mesmo (e consequente atraso inerente a uma remarcação).

 

Como posso preparar-me para o exame?

No local onde realizará a endoscopia receberá instruções específicas para a preparação do seu exame. Estas visam maximizar a segurança do mesmo, uma correta apreciação endoscópica e minimizar possíveis complicações.

– Não deve beber nem comer nada nas 12h que precedem o seu exame. É importante que o seu estômago se encontre completamente vazio durante a realização do exame. Só assim o Endoscopista pode identificar ou excluir as lesões; exclui-lhe a possibilidade de comida ou líquidos ao serem expelidos pelo vômito entrarem nos pulmões (o que se chama aspiração).

– Alguns medicamentos devem ser suspensos alguns dias antes da realização do exame. Esteja atento. Pergunte ao seu médico.

– Se vai realizar o seu exame com sedação não se esqueça que deve estar acompanhado. Embora se sinta bem e esteja acordado a medicação sedativa altera os seus reflexos interferindo por exemplo com a condução (semelhante ao efeito do álcool).

 

O que posso esperar durante a realização da endoscopia ?

A endoscopia realiza-se consigo deitado sobre o seu lado esquerdo. Um spray anestésico é-lhe administrado na garganta; sentirá dificuldade a engolir mas respira normalmente. Um bocal de plástico é colocado entre os seus dentes e o endoscópio. Ser-lhe-á pedido para deglutir quando sentir o endoscópio na garganta. O melhor conselho é relaxar e respirar normalmente pelo nariz.

O endoscópio é um tubo flexível com uma lente e uma fonte de luz permitindo ao endoscopista olhar através do endoscópio ou de um monitor de TV. O endoscópio contém canais os quais permitem a lavagem, a insuflação de ar (para melhor visualização) e a realização de biópsias (ou de outras pinças ou ansas conforme as técnicas). As biópsias não são dolorosas. É introduzido ar através do endoscópio para abrir o esófago, estômago e duodeno. Pode sentir um leve desconforto com esta distensão. Não tem qualquer risco.

endoscopio1

É importante que se lembre que o endoscópio não interfere com a sua respiração e que de facto, concentrando-se em movimentos respiratórios lentos, profundos durante o procedimento as suas dificuldades estão claramente minimizadas.

 

Quais as complicações que podem ocorrer após a endoscopia?
A endoscopia digestiva alta é um exame seguro e as complicações são raras mas podem ocorrer:
– Aspiração de comida e líquidos para os pulmões, risco que é práticamente anulado se cumprir o jejum recomendado.
– Perfuração, extremamente rara.
– Hemorragia pós-biópsia ou por exemplo após extracção de pólipos; geralmente mínima e controlada de imediato.

 

A ocorrência de algum dos seguintes sintomas devem ser comunicados de imediato ao médico:
– Dor abdominal severa
– Barriga muito distendida e dura
– Vômitos
– Febre
– Dificuldade deglutição

Embora os doentes sintam alguma preocupação com o desconforto do exame a grande maioria tolera a endoscopia digestiva alta muito bem.

edae

Realização de Endoscopia Digestiva Alta e Colonoscopia com sedação para conforto do paciente.

 

Colonoscopia

O que é colonoscopia?

É um exame seguro e eficaz onde se consegue examinar e diagnosticar problemas do intestino grosso.
Através de um tubo flexível que possui uma ótica em sua extremidade obtém-se uma imagem precisa de todo o revestimento intestinal e se pode realizar biópsias de problemas existentes. O exame é realizado a nível ambulatorial com mínimo transtorno e desconforto.

colono4

Quem deve realizar a colonoscopia?

A pessoa que apresentar mudanças no funcionamento intestinal, sangramento nas evacuações ou sentir a sensação de evacuações incompletas.

A colonoscopia serve também para:

– Examinar sintomas abdominais pouco claros;
– Exames periódicos de problemas como colite ulcerativa ou doença de Crohn;
– Remover pólipos que sejam encontrados em exames, por exemplo, a radiografia do intestino grosso;
– Examinar pacientes que apresentem exames de pesquisa de sangue oculto nas fezes positivo;
– Acompanhar a evolução de pacientes que tiveram no passado pólipos ou câncer.

 

Quais os benefícios da colonoscopia?

Com a colonoscopia é possível detectar e remover a maioria dos pólipos intestinais e mesmo câncer em fase muito inicial, sem a necessidade de cirurgia.

É um exame muito mais preciso do que o enema opaco (radiografia dos intestinos) na detecção de pequenos pólipos ou câncer. No momento da realização do exame os pólipos encontrados podem ser removidos, havendo assim uma inequívoca prevenção do câncer intestinal (segundo câncer que mais mata no mundo).

colono6

Veja o vídeo:

 

Retossigmoidoscopia

Neste exame, o médico introduz pelo ânus um fino tubo com uma câmera na ponta para dentro do reto à procura de pólipos ou lesões sugestivas de terem sofrido alguma transformação compatível com um tumor. Os estudos mostram que se as pessoas acima de 50 anos de uma determinada população realizarem esse exame regularmente, diminui as mortes decorrentes desse tipo de tumor naquela população. O intervalo ideal que deve ser feito esse exame (de quanto em quanto tempo) ainda não foi determinado e o paciente deve discutir com o seu médico, que avaliará os seus factores de risco e o resultado do primeiro exame para determinar o intervalo ideal.